Um total de 13 das 25 cadeiras da Câmara de Vereadores foi renovado nas eleições de 2016. Somente a coligação dos candidatos a prefeito classificados para o 2º turno, Wilson Santos (PSDB) e Emanuel Pinheiro (PMDB), elegeram parlamentares para o Legislativo Municipal, com vantagem para o tucano. Nenhuma mulher conseguiu garantir vaga.

Toninho de Souza e Jânio Calistro são os vereadores mais votados em Cuiabá e VG

Já era sabido que pelo menos quatro cadeiras seriam renovadas, devido a desistência da tentativa de reeleição de Haroldo Kuzai (SD), Faissal Calil (PSB), Domingos Sávio (PSD) e Leonardo Oliveira (PSB) – este último que trocou a tentativa de reeleição para ser candidato a vice na chapa encabeçada por Wilson Santos.

Destaca-se o crescimento da bancada do PV, que antes possui um vereador e agora é a maior, com quatro representantes, enquanto PSDB, que era a maior bancada com cinco parlamentares, perdeu duas cadeiras e agora só possui três vereadores. Além de reeleger Mario Nadaf, o Partido Verde conseguiu emplacar os novatos Marcos Veloso, Felipe Wellaton e Justino Malheiros, filho do ex-deputado estadual João Malheiros.

Já entre os tucanos que não conseguiram se reeleger está Lueci Ramos (PSDB), a única mulher da legislatura 2013-1016. Ela estava na Câmara há 20 anos. Apesar da tucana ter somado 3.556 votos e alguns parlamentares terem se eleito com menos de dois mil, a chapa da vereadora, que incluía o PSD do mais votado entre os vereadores, Toninho de Souza, exigia uma votação maior devido às regras da eleição proporcional.

O PSB também perdeu uma cadeira e também conta com três vereadores. Onofre Júnior não conseguiu se eleger, mesmo após ter participado da Mesa Diretora da Câmara. Entre os motivos para perda de força está o fato de o vereador Leonardo de Oliveira, possível puxador de votos, não ter saído para reeleição.

Já o PP, do reeleito Paulo Araújo, aumentou duas cadeiras, com a eleição dos novatos Vinicyus Huguenei e Diego Guimarães. Com dois vereadores ficaram as bancadas do PRP e PSC. Outros oito partidos elegeram uma parlamentar cada.

Também chamou a atenção o fim da bancada do PT na Câmara de Vereadores. Nem Allan Kardec, nem Arilson da Silva conseguiram votos suficientes para garantir vaga.

Governabilidade

Apesar de Wilson Santos chegar em segundo colocado no próximo turno da eleição, seu grupo elegeu mais vereadores do que o primeiro colocado, Emanuel Pinheiro. A coligação do tucano garantiu 14 das 25 vagas, enquanto a do peemedebista ficou com 11 cadeiras na Câmara.

Com isso, caso Wilson for eleito, terá governabilidade garantida, visto ter mais da metade dos votos na Casa de Leis. Já Emanuel precisará abrir negociação com vereadores do outro grupo a fim de conseguir maioria na Câmara. Veja abaixo como ficou a divisão:

Wilson Santos

Justino Malheiros (PV)
Mario Nadaf (PV)
Felipe Wellaton (PV)
Delegado Marcos Veloso (PV)

Misael Galvão (PSB)
Gilberto Figueiredo (PSB)
Marcelo Bussiki (PSB)

Renivaldo Nascimento (PSDB)
Dr. Ricardo Saad (PSDB)
Adevair Cabral (PSDB)

Toninho de Souza (PSD)

Marcrean Santos (PRTB)

Elizeu Nascimento (PSDC)

Wilson Kero Kero (PSL)

Emanuel Pinheiro

Vinycius Clovito (PP)
Diego Guimarães (PP)
Paulo Araujo (PP)

Orivaldo da Farmácia (PRP)
Lilo Pinheiro (PRP)

Abilio Jr (PSC)
Sargento Joelson (PSC)

Juca do Guaraná Filho (PT do B)

Chico 2000 (PR)

Dilemar Alencar (PROS)

Dr. Xavier (PTC)

De Fora

Não conseguiram se reeleger Maurélio Ribeiro (PSDB), Lueci Ramos (PSDB), Allan Kardec (PT), Arilson da Silva (PT), Adilson Levante (PSB), Onofre Ribeiro (PSB), Oseas Machado (PSC), Professor Neviton (PRB) e Marcus Fabrício (PTB).

 

Fonte: Site olhardireto.com.br .

Foto: Divulgação.