Em reunião com o Instituto Socioambiental, Sarney Filho declara que a questão será central nas medidas de conservação dos biomas brasileiros.

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, priorizará os indígenas nas ações de proteção da biodiversidade brasileira. A declaração ocorreu em reunião realizada nesta quarta-feira (14/09), em Brasília, com representantes do Instituto Socioambiental (ISA). Questões ligadas ao processo de licenciamento, ao combate ao desmatamento e ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) também foram abordadas no encontro.

A determinação do ministro é que a questão seja trabalhada com máxima importância em medidas ligadas à conservação ambiental e à delimitação de terras. “Os indígenas têm sempre razão e vamos priorizá-los”, ressaltou Sarney Filho. Segundo ele, a participação do terceiro setor também é essencial na garantia dos direitos indígenas e da proteção dos ecossistemas brasileiros. “A sociedade civil deve avançar e ocupar esse espaço”, acrescentou.

DIÁLOGO

Representantes da sociedade civil reiteraram o engajamento e a participação na definição e na implantação das políticas ambientais brasileiras. “É um momento político para definirmos a questão em um diálogo franco e direto na busca por soluções”, defendeu o sócio fundador do ISA, Marcio Santilli.

A reunião contou, ainda, com a participação dos secretários do MMA Everton Lucero (Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental), José Pedro de Oliveira Costa (Biodiversidade e Florestas) e Edson Duarte (Articulação Institucional e Cidadania Ambiental), da presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo, e do presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Rômulo Mello.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Ministério do Meio Ambiente (Ascom/MMA)

Foto: Gilberto Soares/MMA/ Divulgação