IMG_6648A sessão solene em homenagem ao Dia Mundial do Meio Ambiente, nesta quarta-feira, 4, no Plenário da Câmara, foi marcada pela rejeição da PEC 215 e da Frente em Defesa dos Atingidos por Unidades de Conservação por parte dos deputados presentes. A sessão foi aberta com pronunciamento do deputado Sarney Filho (PV-MA), líder do Partido Verde e coordenador da Frente Parlamentar Ambientalista, autor do requerimento da homenagem.

“Hoje é um dia festivo, mas não é um dia para comemorar. O momento é de reflexão, conscientização e mudança. Vivemos em um planeta finito, com recursos igualmente finitos. Logo, o conceito de desenvolvimento baseado na expansão infinita da economia não funciona e é preciso abandoná-lo com urgência.”

Sarney Filho foi saudado pelo presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, em discurso enviado para leitura no Plenário, como “defensor histórico da causa ambientalista”. O líder da Bancada Verde foi muito aplaudido ao denunciar os ataques contra a legislação ambiental e os povos tradicionais, encabeçados, no parlamento, pelos ruralistas que, segundo ele “defendem seus interesses individuais em detrimento dos interesses da coletividade”.

Também discursou na sessão o deputado Roberto de Lucena (PV-SP), manifestando sua preocupação com a situação da água em São Paulo e chamando a atenção para os casos de contaminação por metais pesados no país, em especial para a contaminação por chumbo em Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Lucena pediu à sociedade mais responsabilidade com o meio ambiente.

O deputado Eurico Jr. (PV-RJ) anunciou os projetos que compõem uma pauta verde que poderá ser votada nos próximos dias. Estão previstos para a votação de hoje a PEC do Cerrado e da Caatinga, a proibição de experiências com animais e a criação da carreira de especialista em meio ambiente.

Fonte: assessoria de comunicação Lid/PV

Foto: Paula Laport – Lid/PV