A Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa da Câmara dos Deputados conheceu mais um trabalho bem-sucedido em relação ao cuidado com as pessoas idosas. Após visitarem a cidade de Veranópolis (RS), os parlamentares estiveram no Estado de São Paulo onde foram conhecer as experiências dos centros de convivência para idosos, os centros dia e as vilas dignidade.

Em visita à Secretaria de Desenvolvimento Social, os deputados Roberto de Lucena (PV-SP), presidente da comissão, e a deputada Leandre (PV-PR), vice-presidente, ouviram detalhes sobre as ações do estado. Eles também foram conhecer de perto as cidades que aplicam os programas de valorização do idoso.

A secretária-executiva do programa SP Amigo do Idoso, Marly Cortez, informou que já foram inaugurados 55 Centros Dia, que atendem cerca de 5 mil pessoas idosas, tanto independentes quanto aquelas com dependência reduzida ou acentuada.

Por meio de convênio com municípios, também foram entregues 17 vilas dignidade, que totalizam 336 casas para beneficiarem 356 idosos. Essas vilas são compostas por residências localizadas em condomínios, com disponibilidade de equipamentos comunitários, como academia, horta e salão de convivência.

O estado também disponibiliza o Cartão Vida Ativa para 3 mil idosos, que recebem R$ 57 para prática de esportes.

Marly explicou que o governo local elabora um mapa do envelhecimento do estado. Para isso, foi montado um sistema de monitoramento on-line, no qual o município insere as ações desenvolvidas em prol dos idosos e encaminha a comprovação dessas iniciativas para a secretaria.

Exemplos positivos

De acordo com a deputada Leandre, o objetivo das visitas é conhecer e divulgar iniciativas que tornem o envelhecimento uma conquista e não um transtorno. “A comissão quer ser um local para concentrar os exemplos positivos que favoreçam essa transição demográfica que ocorre no Brasil”.

Leandre acrescentou que o colegiado, criado em maio deste ano, além de analisar projetos sobre idosos, pretende aproveitar experiências dos estados. “São pontos de referência para criar políticas nacionais de atendimento aos idosos”.

A expectativa é que o Brasil concentre 73 milhões de idosos em 2020. Para a deputada, é preciso mudar o modelo atual, de assistência, para o de prevenção, a fim de diminuir o custo da saúde.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Bancada Verde com informações da Agência Câmara Notícias

Foto: Regina Céli Assumpção